7 CURIOSIDADES SOBRE JESUS CRISTO - COR JOVEM - Grupo de jovens católicos !!!!

COR JOVEM - Grupo de jovens católicos !!!!

" Criatividade a serviço da Evangelização "

Post Top Ad

A seguir 7 questões  sobre a vida de JESUS CRISTO explicadas pela ótica da ciência ....

1. Ele não nasceu em Belém, nem no Natal
O sino que bate nas canções natalinas não é o de Belém. 
E também não foi no dia 25 de dezembro que ele nasceu. Tudo o que sabemos sobre o nascimento de Jesus está nos evangelhos de Mateus e Lucas - e são versões bem diferentes. Em Mateus, José e Maria aparentemente viviam em Belém quando ela deu à luz. No evangelho de Lucas, eles moravam em Nazaré, e só se deslocaram até Belém porque Augusto, o imperador romano, decretou que todos os habitantes do império deveriam ir até a cidade onde nasceram seus ancestrais para participar de um censo. Como José, segundo a narrativa, era descendente do rei Davi, que nasceu em Belém, ele e a esposa foram até lá. Evangelhos à parte, hoje é consenso entre os historiadores de que Jesus nasceu mesmo em Nazaré. "Tanto Mateus quanto Lucas dizem que Jesus nasceu em Belém com o objetivo de dizer metaforicamente, simbolicamente, que ele é o "novo rei Davi", diz o teólogo americano John Dominic Crossan, um dos maiores especialistas na história do cristianismo. Crossan e outros descartam Belém por um motivo: do ponto de vista dos evangelistas, seria mais simples dizer que ele nasceu e cresceu em Belém mesmo - e então mudou para o Mar da Galileia, onde começou a pregar. Mas como os textos se dão ao trabalho de dizer que ele veio de Nazaré, uma cidade que não tinha nada de especial, o mais provável é que ele tenha nascido lá mesmo. Mais: o motivo que Lucas dá para José e Maria terem ido a Belém não existiu. O governo de Augusto é extremamente bem documentado. E não há registro de censo nenhum. Menos ainda um em que as pessoas teriam que "voltar à cidade de seus ancestrais". 

2. Os três reis magos não eram reis. Nem eram três
Está no evangelho de Mateus (e só nele): 
"magos do oriente" ficam sabendo do nascimento de Jesus e seguem uma estrela que os leva até Jerusalém. Lá eles vão até o palácio real e perguntam a Herodes onde é que vai nascer o "rei dos judeus". O soberano consulta estudiosos das Escrituras Sagradas, e informa aos magos que o nascimento deve acontecer na cidade de Belém. Então pede que eles voltem para confirmar o paradeiro de Jesus. Os homens mais uma vez seguem a estrela, agora até Belém (a 10 quilômetros de lá). Então oferecem ouro, incenso e mirra ao recém-nascido. Depois, são alertados em um sonho que não devem contar a Herodes onde Jesus está, e voltam para casa por um caminho alternativo. Herodes, que era ele mesmo o "rei dos judeus", não queria ser destronado, então mandou seus soldados matarem todos os meninos com menos de dois anos na região. Essa é uma história típica da mitologia em torno de Jesus - nenhum historiador busca evidências de magos e estrelas-guias, claro. Acreditar nela ou não é questão de fé. Mesmo assim, alguns elementos dessa fé distanciaram-se do que está na Bíblia. Por exemplo: não há menção a "reis". "A tradição popular é que definiu isso, porque trouxeram presentes caros", diz Irineu Rabuke. O evangelho, aliás, nem diz que eles eram três: só se sabe que eram mais de um, já que são mencionados no plural. Os nomes deles também não aparecem. As alcunhas "Gaspar", "Melquior" e "Baltazar" são de textos do século 5. O mais provável, enfim, é que esses personagens de Mateus sejam inspirados em sacerdotes do zoroastrismo, uma religião persa ligada à astrologia - daí a "estrela de Belém" e o "vindos do oriente", onde ficava a Pérsia (que hoje se chama "Irã"). Bom, se eles foram imaginados como persas mesmo, essa história tem algo de inusitado do ponto de vista geopolítico, como lembra o americano Crossan: "Acho irônico que, no meu país, nós tenhamos três iranianos nos nossos presépios".

3. Ele era moreno, baixinho e de cabelo curto
A Bíblia não fala sobre a aparência de Jesus, Isso deu liberdade para que artistas construíssem a imagem de Cristo de acordo com suas próprias interpretações. Os do Renascimento, por exemplo, desenhavam Jesus à imagem e semelhança dos nobres do norte da Itália. E essa foi a imagem que ficou.

Ok. Mas vamos à ciência: esqueletos de judeus do século 1 indicam que a altura média deles era de mais ou menos 1,55 m. E que a maioria não pesava muito mais do que 50 quilos. Então o físico de Jesus estaria dentro dessa faixa. E mesmo se fosse bem alto para a época, com 1,65 m, por exemplo, ainda seria pequeno para os padrões de hoje. Determinar o rosto é mais difícil. Mas uma equipe de pesquisadores britânicos liderada por Richard Neave, um especialista em ciência forense, conseguiu uma aproximação boa. Usando como base três crânios do século 1, eles lançaram mão de softwares de modelagem 3D para determinar qual seria o formato do nariz, dos olhos, da boca... enfim, do rosto de um adulto típico da época. O resultado foi uma face parecida com a do retrato que abre esta reportagem. Não que aquilo seja de fato o rosto de Cristo. Mas que se trata de uma aproximação cientificamente confiável, se trata.

Quanto à cor da pele, a hipótese mais provável é que fosse morena, como era, e continua sendo, a da maior parte das pessoas no Oriente Médio. E como seria a de praticamente qualquer um que passasse a vida toda ao ar livre naquele calor de lascar. Bom, sobre o cabelo dele quem dá a maior pista é a própria Bíblia. No livro 1 Coríntios, Paulo diz que "cabelo comprido é uma desonra para o homem". O maior divulgador do cristianismo no século 1 provavelmente não diria isso se Jesus tivesse sido notório pela cabeleira. Na verdade, as primeiras representações conhecidas de Cristo, feitas no século 3, mostram um Jesus de cabelo curto. E sem barba, até. "A ideia era mostrar que se tratava de um jovem", diz Chevitarese. A inspiração desses artistas eram as esculturas de Apolo e Orfeu, deuses gregos também retratados como jovens imberbes. Por volta do século 5, essa primeira imagem de um Jesus jovial e imberbe perdeu espaço para uma outra, em que ele está de barba e cabelos longos e escuros.


4. Jesus era só um entre vários profetas
Cristo viveu em um período favorável para o surgimento de profetas. Só no livro Guerra dos Judeus (do historiador Flávio Josefo, que viveu no século 1) dá para identificar pelo menos 15 figuras semelhantes a Jesus, que viveram mais ou menos na mesma época dele. A Bíblia cita outros quatro. Um é João Batista, que anunciava o fim do mundo aos seus seguidores, e de quem os cristãos herdaram o ritual do batismo. "Cerca de cem anos depois da morte de João Batista, seus discípulos ainda diziam que ele era maior que Jesus", diz Chevitarese. Para o historiador, João Batista era um concorrente de Cristo. Os dois eram profetas apocalípticos (já que pregavam o fim dos tempos) e viviam na mesma região. A diferença é que João chegou primeiro. "Ele não se ajoelharia na frente de Jesus e diria que não é digno de amarrar a sandália dele, como está nos evangelhos. Pelo contrário", diz. Segundo ele, foi a redação da Bíblia, evidentemente favorável a Jesus, que transformou Batista num coadjuvante: "Os textos pró-Jesus é que vão amarrar o Batista à tradição de Jesus. João Batista é um dos melhores exemplos que nós temos de um candidato messiânico marcadamente popular". O segundo desses profetas contemporâneos é Simão, o Feiticeiro. Conforme o livro Atos dos Apóstolos, do Novo Testamento, Simão é conhecido por "praticar mágica", e quando ouve os apóstolos falarem sobre Jesus, oferece dinheiro a eles para tentar comprar o dom de Deus (os apóstolos recusam a oferta, claro). O terceiro desses é Bar-Jesus, que os apóstolos encontram quando chegam à Grécia e a quem nomeiam como "falso profeta". E o último é o "egípcio", com quem Paulo é confundido no templo de Jerusalém. O egípcio era um candidato a Messias que viveu por volta do ano 40, e prometeu levar os seus seguidores para atravessar o leito do Jordão, que, ele dizia, se abriria quando eles passassem. Chevitarese conta que eles sequer tiveram tempo de chegar às margens do rio: "Os romanos, quando ficaram sabendo disso, mandaram a tropa aniquilar todo mundo. Vai que o rio abre mesmo?".

5. Mateus, Marcos, Lucas e João não são os autores dos evangelhos
Mateus e João eram apóstolos. Marcos, um discípulo de outro apóstolo (Pedro). E Lucas era médico de Paulo. Pela tradição cristã, eles são os autores dos quatro evangelhos do Novo Testamento. Mas isso também é um mito. Ninguém sabe quem escreveu os livros. A "autoria" de cada um foi atribuída aleatoriamente pela Igreja bem depois de os textos terem ido para o papiro. O evangelho de Mateus, por exemplo, foi atribuído a Mateus porque ele dá ênfase ao aspecto econômico - e Mateus era o apóstolo que tinha sido coletor de impostos. Já o texto creditado a João é o único dos evangelhos a relatar o episódio em que Jesus, pouco antes de morrer, pede ao apóstolo João que ele cuide de Maria. Aí os créditos ficaram com João.

6. Judas pode não ter sido um traidor
Judas, um dia, foi nome. Hoje, virou adjetivo, sinônimo de ausência de caráter. Mas Judas Iscariotes, que teria entregue Jesus aos romanos em troca de 30 moedas de prata, pode ser um injustiçado. Essa história aparece nos quatro evangelhos - com uma ou outra variação. Para alguns estudiosos, porém, ela é uma farsa. A maior evidência estaria nos textos de Paulo, os mais antigos entre os do Novo Testamento, escritos por volta do ano 50 d.C. Numa passagem na Primeira Epístola aos Coríntios Paulo diz que, depois de ressuscitar, Jesus apareceu para os 12 apóstolos, e não para 11: "Ele foi sepultado e, no terceiro dia, foi ressuscitado, como está escrito nas Escrituras; e apareceu a Pedro e depois aos 12 apóstolos" (Coríntios, 15:5). Ou seja, Judas estaria lá. Não teria se matado após a famosa traição, como dizem os evangelhos. Essa epístola foi escrita pelo menos dez anos antes de Marcos, o primeiro dos quatro.


Outro documento que defende o suposto traidor é o Evangelho apócrifo que ficou conhecido como "Evangelho de Judas". Uma cópia desse manuscrito foi revelada em 2006. Pesquisadores acreditam que o texto foi escrito originalmente por volta do século 2, já que ele foi mencionado em uma carta escrita pelo bispo Irineu de Lyon em 178 d.C. Segundo o texto, Judas teria apenas acatado um pedido de Jesus ao entregá-lo para as autoridades romanas. Nessa versão, Iscariotes era o apóstolo mais próximo do mestre - daí o pedido ter sido feito a ele.



7. O Reino dos Céus era na Terra
Todo ano, antes de avisar a Jesus Cristo que ele está aqui, Roberto Carlos olha para o céu e vê uma nuvem branca que vai passando. O céu virou sinônimo de paraíso, é de lá que Deus observa os nossos movimentos e é pra lá que vai quem já morreu. Mas o jovem Jesus, quando tentava convencer seus ouvintes a se comportarem de maneira justa, não dizia exatamente isso. O Reino de Deus (ou Reino dos Céus) que Jesus pregava iria acontecer aqui na Terra mesmo.




Os próprios evangelhos deixam isso claro. Em uma conversa com os discípulos pouco antes de morrer, Jesus diz que alguns deles estarão vivos para ver o reino de Deus chegar: "Dos que aqui estão, alguns há que de modo nenhum provarão a morte até que vejam o Reino de Deus já chegando com poder" (Marcos, 9:1). Em outro momento, Jesus chega a afirmar que o Reino de Deus já chegou: "Ora, depois que João foi entregue, veio Jesus para a Galileia pregando o evangelho de Deus; e dizendo: O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho" (Marcos, 1:15).


Fonte:http://super.abril.com.br/religiao/jesus-verdade-mito-730298.shtml 



< Palavras chave>
curiosidades sobre jesus, paixão de cristo, curiosidades bíblicas, 
curiosidades sobre a bíblia, crucificado 

14 comentários:

  1. Quanta bobagem e asneira sem nexo...Entendemos que a fé trabalha com a crença do invisível e improvável, mas a ciência trabalha com fatos e provas. Esse tipo de "estudo cientifico" sobre a bíblia está cheio de suposições e hipóteses de "estudiosos e especialistas". Ora, torna-se baboseira pura se não há comprovação científica. Se não tem nada de concreto, então vá examinar insetos e outros coisas desse tipo revista Super Interessante.

    ResponderExcluir
  2. De onde você tirou tanta baboseira assim?Se você não crê na bíblia isso é um problema teu, mas não fique disseminando idéias fundadas em teorias de estudiosos, cientistas e o que for.Pois o que move as pessoas a crer na bíblia primeiramente é a fé! Os que tem fé não nevessitam de ficar pesquisam arqueologia ou escritos antigos para comprovar a veracidade da bíblia.Mas saiba que estudos arqueológicos comprovam sim que muitos personagens sitados na bíblia existiram de fato! Pesquise coisas com coerência e concretas em vez de ficar atraz de teorias sem fundamento lógico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Grupo COR JOVEM se priva de responder pessoas que não se identificam no comentários, contudo pede para que a leitura/interpretação dos títulos e do conteúdo de nossos posts seja feita com parcimônia e inteligência. Agradecemos muito a sua opinião, PAZ E BEM.

      Excluir
  3. Muito bacana.Me esclareceu muito as informações contidas assim.Acredito na fé raciocinada, e não na fé cega dos ainda ignorantes, mas que alcançarão no futuro também entendimento,porque Deus ama a todos.Que Deus abençoe esta equipe maravilhosa por essa maravilhosa, e audaciosa pesquisa, em tempos de tanta intolerância, vocês não tem vergonha nem medo de exporem simplesmente a verdade.
    Meu nome é Ranieri,Sou Jornalista e radialista, compositor de volta Redonda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre bem vindo Ranieri, esse site aqui é território livre debate e opiniões.

      Que Deus te abençoe irmão
      PAZ E BEM

      Excluir
  4. Vish, qualquer teologia básica desbanca essas besteiras aqui (ou até uma leitura rápida na bíblia)...É muito Dan Brown na cabeça! hahaha...Cuidado amigão, seria prudente pesquisar um pouco mais antes de disseminar essas teorias (facilmente refutadas), mas se crê nisso, fique em paz. Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novamente peço que leiam o texto fazendo uso do senso crítico e certa inteligência, eu sei é difícil, mas o título é claro "7 C U R I O S I D A D E S sobre Jesus", o texto em questão não foi escrito por qualquer "zé mané" que resolveu escrever qualquer baboseira, muito pelo contrário, ele é um resumo de vários anos de estudos realizados por Historiadores, Cientista e pasme querido internauta, Teólogos. (é só você verificar na fonte)

      Esse é um site católico que trouxe esse texto para seu público com a intenção apenas de mostrar que existem estudos de pessoas serias que apontam alguns aspectos curiosos da História de Jesus, temos esse estranho defeito de olharmos a nossa volta, acho que é senso crítico o nome disso, agora se a visão do internauta é fundamentalista e se a sua fé em Jesus está alicerçada no fato dele ter nascido em Belém ou não, ou se ele era loiro do olho azul, ai realmente temos pontos de vista totalmente distintos.

      Novamente digo, o texto não está AFIRMANDO “ 7 VERDADES SOBRE JESUS” , não, acho que fomos claros nisso, além deste site temos um grupo de Jovens que já possui mais de três décadas no trabalho de evangelização com jovens, agora aqui duas coisas não vigoram:
      A L I E N A Ç Ã O e F U N D A M E N T A L I S MO, talvez por isso você tenha se irritado tanto com esse simples post.

      Que Deus te abençoe na sua missão e que Deus nos presentei sempre com muito Entendimento e Sabedoria
      - PAZ E BEM -

      Coordenador de Conteúdo do Site
      Danilo Nery

      Excluir
    2. EU concordo. O texto tem a finalidade única de falsificar a história de Jesus. Bom deixar claro que são afirmaçoes, não opinões

      Excluir
  5. Boa tarde. A Bíblia fala da aparência de Jesus em Isaias capítulo 53. E ele não era bonito fisicamente.

    ResponderExcluir
  6. Depois que Judas traiu Jesus e se enforcou, foi substituído por Matias. Logo, Matias se tornou um apóstolo e então significa que Jesus apareceu para os 12 sim. Não tem nada de contraditório nisso, está tudo na bíblia, dê uma olhada em Atos 1:26.

    ResponderExcluir
  7. Meu amigo editor, você precisa ler mais,(((( 5. Mateus, Marcos, Lucas e João não são os autores dos evangelhos)))) tudo errado, e o texto todo cheio de informações erradas........

    ResponderExcluir
  8. Texto simplesmente ridículo... Já da pra perceber só de observar que quem escreveu é um completo analfabeto científico. Não se faz afirmações desprezando o contexto e isolando frases. E ainda se diz historiador... Onde estão as fontes meu amigo? Deixa de ser ridículo! Preste atenção na escrita... não deveria nem estar fazendo afirmações do português vai estudar no hebraico, grego... antes de falar asneira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre bem vindo Samuel Marquesini, esse site aqui é território livre debate e opiniões.

      Com referência as fontes que você solicitou estão no link no final do texto.

      RESPEITO, DIÁLOGO E AMOR

      Que Deus te abençoe irmão
      PAZ E BEM.

      Excluir

Post Bottom Ad

Pages